terça-feira, 29 de março de 2011

Retorno

Quem sabe um dia eu voltarei para esta casa,
Onde fui tão feliz.
Quem sabe a porta estará encostada,
Jamais trancada;
Apenas me aguardando para de novo se abrir
Ah, quem sabe...
Estará chovendo,
E correndo pra dentro me encontrarei
Lendo um livro na poltrona da sala;
Quem sabe a casa estará intacta
Com os mesmos sentimentos de outrora
Com o mesmo frescor da aurora
Dos sonhos que gerei aqui.

Quem sabe...

(Priscila Mendes)

6 comentários:

Mari disse...

Saudades de vocês!

Priscila disse...

Mari, saudade de vcs também! Como está a Ana? Mande notícias...bjs

Mari disse...

Pri!

A Ana Rosa está chegando aos 4 anos!!! Tá linda, cada dia mais enchendo de graça e beleza o meu dia!

Quanto à saúde.... vai de vento em polpa! E o Gu?

Novos Maias disse...

Olá, Priscila:

Achei que você tinha desistido do blog!!!
Que vossa inspiração lhe seja mais generosa (a você e, indiretamente, a nós) e que vossas postagens nos alcance com maior frequência...
Um abraço,

Marcio Ribeiro disse...

Olha eu aqui Priscila ... fazendo-tche uma visita !!! Belas letras ... parece que tirou as palavras da minha pena !!! Hehehe ...

Priscila disse...

Olá, Novos Maias! Desisti temporariamente. Ainda estou no encalço de adubo para minhas divagaçoes...Saudade de seus textos!

Oi, Márcio! Andei sumida. Inquilina itinerante...Mas estou retornando aos poucos. Saudade dos seus poemas!

Vizinhos, retribuirei a visita!!
Abraços